Rita Cadillac:  "As cenas de sexo fiz bêbada, em coma alcoólico"

Aos 58 anos e mais de 30 de carreira, a mais popular dançarina do Chacrinha conta detalhes dos bastidores de seus filmes pornôs, fala de seus dias como garota de programa e sobre a luta de ser mãe solteira aos 17 anos

Isabelle Mani , iG Gente |

Rita Cadillac. Foto: André GiorgiRita Cadillac. Foto: André GiorgiRita Cadillac ao lado de Chacrinha e outra chacrete . Foto: Arquivo pessoalRita Cadillac. Foto: André GiorgiRita Cadillac. Foto: André GiorgiRita Cadillac fantasiada (à esq.) e quando fazia a alegria dos presidiários . Foto: Arquivo pessoalRita Cadillac. Foto: André GiorgiRita Cadillac. Foto: André GiorgiRita Cadillac no auge da fama . Foto: Arquivo pessoalRita Cadillac. Foto: André GiorgiRita Cadillac. Foto: André GiorgiRita Cadillac. Foto: André GiorgiRita Cadillac. Foto: André Giorgi

Rita de Cássia, eternizada Rita Cadillac por Chacrinha e conhecida pela exuberância de seu bumbum há décadas, garante que em sua trajetória – cheia de altos e baixos – não há qualquer arrependimento. Nem mesmo ter estrelado uma série de filmes pornográficos, um deles com Alexandre Frota. No entanto, o ator andou criticando recentemente a parceria com Rita em “Puro Desejo”, de 2009. Meu maior erro. Parecia que estava pegando a minha avó. Foi difícil”, declarou ele em um programa de TV. “Não sei porque ele esta falando isso: eu ganhei bem e ele também”, explica uma sossegada ex-chacrete e avó de duas meninas. Rita revela que a relação com Frota não foi amigável. “Como a fama dele era péssima, eu mandei colocar no meu contrato que, se ele encostasse a mão em mim para me bater, eu ia embora na hora.”

Polêmicas à parte, Rita se define como solteira e romântica e diz que a incomoda o fato de “pensarem que sou uma pessoa ligada em sexo 24 horas por dia”. “Sempre quis mostrar para as pessoas que não sou a Rita Cadillac”, explica ela, tentando manter distanciamento de sua personagem. “Os homens não me querem, querem a ela”.

Com cinco discos lançados e um hit que perdura por gerações, “É Bom para o Moral”, Rita continua se apresentando pelo País - de shows de formaturas a inaugurações de cemitério. “Tenho 58 anos e graças a Deus estou ai”, diz a agora a eterna musa dos presidiários. “Só não vou mais (às cadeias) porque a Secretaria diz que não garante minha segurança”, explica. Confira o bate-papo:


RITA, A GAROTA DE PROGRAMA E A CHACRETE

iG: Como foi seu começo no show biz?
Rita Cadillac: Quando tinha 16 anos e dois meses de namoro me casei. Aí fiquei grávida, e de primeira. Viajamos para Porto Alegre na lua de mel, ele me deu um porre de vinho e foi! Três meses depois peguei meu marido com outra, e me separei. Aí não queria mais nada dele. Ainda mais porque, para mim, eu fui estuprada naquela vez. Fiquei com barreiras e não deixava mais ele encostar em mim.

iG: O que você fez?
Rita Cadillac:Tive que lutar, porque minha avó morreu logo que o (filho) Carlos nasceu. Tive que trabalhar a vida inteira para dar um futuro ao meu filho. Sustentá-lo, dar os melhores colégios. Aliás, ele foi expulso de vários colégios por causa da mãe. ‘Sua mãe é gostosa’, pronto, ele descia porrada. Filho homem, né?

iG: Você já declarou que foi garota de programa para sobreviver...
Rita Cadillac: O meu filho tinha mais ou menos dois anos e eu não tinha mais ninguém no mundo (a mãe de Rita a abandonou quando ela era pequena e seu pai morreu pouco depois dela nascer). Não sabia fazer nada, minha avó me criou sem que eu precisasse fritar um ovo, com babás cuidando de mim. Só sabia dançar e uma amiga disse que conhecia uma senhora que ajudava. Eu era inocente, não entendi a princípio quando ela disse ‘fazer programa’. Achei que fosse de TV. Acabou que a primeira vez que saí, foi um cara muito gente fina. Eu estava chorando, ele me deu a grana e falou ‘olha filha, vai fazer outra coisa que não é sua praia’.

iG: Como você deixou isso para trás?
Rita Cadillac: Na verdade não fiquei nem um ano, porque uma amiga me arranjou um teste no grupo de dança da Meg Marie e Arnoldo Costa, e eu passei. Estudei balé clássico e fui com eles viajar o mundo inteiro para dançar – Canadá, Estados Unidos, conheci o mundo com eles.

iG: Como você foi trabalhar com o Chacrinha?
Rita Cadillac: Durante minhas férias no Brasil um amigo do Leleco, filho do Chacrinha, me viu em uma boate e falou de mim, que eu era uma chacrete perfeita. Aceitei o convite para ir trabalhar no programa, mas avisei que ficaria só três meses. Gostei tanto que decidi ficar. Foi sem querer, não era meu sonho ir para a TV. Entrei sem apelido até.

iG: E quem batizou você?
Rita Cadillac: Tinha uma atriz e cantora francesa com esse nome, e um amigo disse que eu era a cara dela. Eu não achava, mas passei a achar legal quando deixei de ser só uma bailarina no meio de muitas e ter um nome diferente.
 

Arquivo pessoal
Rita Cadillac (à esq.) ao lado de Chacrinha e outra chacrete


RITA, A ESTRELA PORNÔ

iG: Por que você decidiu estrelar filmes pornográficos?
Rita Cadillac: A grana que me ofereceram era o que eu precisava. Consultei meu filho e algumas pessoas e todos falaram: ‘É o que você quer? Precisa disso? Então a gente segura a onda’. Mas eu não sabia o que me esperava: as primeiras cenas foram tranquilas, beijo, abraço, eu posando no Cadillac. Quando o diretor me disse que chegou a hora do sexo...aí a ficha caiu. Queria ir embora, sair dali. Mas tomei vinho, me enchi de prosecco, tomei que nem louca.

iG: E você disse que não bebe...
Rita Cadillac: Não bebo mesmo, nunca. Falei para o menino que contracenava comigo: “Quando você vir que estou começando a chorar, fala no meu ouvido da minha casa, do banco, da prestação”. E ele fez isso.

Eu era inocente, não entendi a princípio quando falaram ‘fazer programa’. Achei que fosse de TV. Na primeira vez eu estava chorando, o cara me deu a grana e falou ‘olha filha, vai fazer outra coisa que não é sua praia’”

iG: E você chegou a lidar bem com isso?
Rita Cadillac: Nunca. Não é minha praia, me senti muito mal. Todas as cenas fiz bêbada, não sabia o que estava acontecendo. Inclusive, em algumas cenas eu acho que estava em coma alcoólico. Não senti tesão nenhum.

iG: O Alexandre Frota, que fez um dos filmes com você, disse há pouco tempo no programa do Danilo Gentili que contracenar com você foi “o maior erro” porque “parecia que estava transando com minha avó”. O que você achou disso?
Rita Cadillac: Eu gosto da pessoa Alexandre Frota, não do personagem Alexandre Frota. Não sei por que ele esta falando isso: eu ganhei bem e ele também. Como a fama dele era péssima, eu mandei colocar no meu contrato que, se ele encostasse a mão em mim para me bater, eu ia embora na hora.

iG: E por que isso?
Rita Cadillac: A fama dele na época é que ele batia, entendeu? Eu tinha medo que ele não me respeitasse e acabasse comigo.

Arquivo pessoal
Rita Cadillac em poses sensuais no auge da fama

 

RITA E OS REALITY SHOWS

iG: Qual é sua relação com a TV? Você nunca mais voltou desde que saiu do Chacrinha.
Rita Cadillac: Não tenho mágoa disso. Hoje em dia faço bastante TV, me convidam e eu vou. Aceito tudo, nunca vou reclamar. Minha época de auge não é igual a de hoje. Fazer o programa do Chacrinha ou do Bolinha não dava abertura para fazer propaganda, lançar sandalinha com seu nome, caderninho, essas coisas. Nunca fiz propaganda. Os ‘merchands' ‘eram junto com o Chacrinha - a gente aparecia, mas não ganhava nada para isso.

iG: Como foi a história de você ter sido cogitada para entrar em “A Fazenda 5”?
Rita Cadillac: Eu estava na lista de todos os jornalistas e nas enquetes de quem o público queria. Todo mundo achava que eu ia entrar, mas nunca fui convidada. Me disseram que o diretor me odeia. Por que, eu não sei (risos)!


Falei para o menino que contracenava comigo (no pornô): “Quando você vir que estou começando a chorar, fala no meu ouvido da minha casa, do banco, da prestação”. E ele fez isso.”


iG: Mas você iria se a convidassem?
Rita Cadillac: Com certeza, na hora! Sou doida para ir! Já me inscrevi até no “Big Brother”, mandei vídeo e tudo, mas nunca me chamaram para ir, né? Lógico, sou famosa (risos)! Prefiro “BBB” porque assisto 24 horas, assino tudo! A Record teria mais Ibope e o programa seria bem mais divertido se tivesse pay-per-view.

iG: Para quem você torce?
Rita Cadillac: Para o Felipe (Folgosi). Acho ele verdadeiro e nunca ouvi ninguém falar nada de ruim sobre ele. A Viviane (Araújo) me decepcionou. Torcia para ela no começo, mas mudei de opinião. Agora, quem eu adoro é a Nicole (Bahls). Acho ela uma louca, engraçadíssima, fala o quer, se tiver que mandar tomar no c* manda. Imagina nós duas lá dentro? Ia ser o máximo! Se ela for assim mesmo na vida real...

iG: Quando você declarou que foi vetada de “A Fazenda”, surgiu à tona uma possível rixa sua com a Gretchen. Onde começou essa inimizade?
Rita Cadillac: Eu namorei um ex-marido dela, o Christian (da dupla com Ralf). O que aconteceu foi que, quando eles ainda estavam casados, surgiu um boato de que uma chacrete estava saindo com ele. Eu não sei por que cargas d’água acharam que era eu, e não era. Nos transformados em desafetos mais pela mídia. Não somos amigas, mas não tenho nada contra ela, somos colegas de profissão.

Já me inscrevi até no 'Big Brother', mandei vídeo e tudo, mas nunca me chamaram para ir, né? Lógico, sou famosa (risos)!”

RITA, O BUMBUM MAIS FAMOSO DO BRASIL

iG: Qual seu trabalho hoje em dia?
Rita Cadillac: Eu faço de tudo. Uma vez eu fiz o lançamento de um cemitério em São Paulo. Olha que legal (risos). Meu pagamento não foi uma lápide! Faço muitas festas de formatura, eventos, despedidas de solteiro...

iG: E você se diverte?
Rita Cadillac: Gosto de fazer o que eu faço, eu me divirto cantando e dançando. No palco, só não sei contar piada! Converso com o pessoal, brinco muito. Todo mundo acha que vai ser um show super-erótico, e não tem nada disso. Eu falo só besteira.

iG: Nos seus shows as pessoas confundem as coisas?
Rita Cadillac: Ah, sim, me pedem pra tirar a roupa, ai eu falo: “A titia só vai tirar tudo no último show”.

iG: Qual a parte favorita do seu corpo?
Rita Cadillac: Ninguém acredita, mas são meus olhos. Sempre foi, e não o bumbum. Eu nunca achei que ele fosse ‘aquela coisa’. Quando falei que queria ser enterrada de bunda pra cima foi de brincadeira, e todo mundo só fala nisso. Mas é verdade, né? As pessoas só me conhecem pela bunda. É a única vez que vão chorar por mim mesmo... Então, se me deixarem pra cima vão falar: ‘quem é?’.

iG: Como você se sente sobre isso?
Rita Cadillac: Eu não ligo. Na verdade não nasci para ser artista. Eu não sou ligada em fama. Mas, sim, me preocupo com o que os outros pensam de mim. Sempre quis mostrar para as pessoas que não sou a Rita Cadillac. Ela usa roupas decotadas, transparentes, é desinibida. Eu sou mais sóbria. Desde criança só falam da minha bunda, do meu corpo.

Como a fama do Alexandre Frota era péssima, eu mandei colocar no meu contrato que, se ele encostasse a mão em mim para me bater, eu ia embora na hora”


iG: O que incomoda você normalmente?
Rita Cadillac: Pensarem que sou uma pessoa ligada em sexo 24 horas por dia, que minha casa vive cheia de homem. Eu até brinco que, se alguém achar um homem na minha casa, me avisa onde está porque estou procurando até agora.

iG: Você está solteira? Gostaria de ter um namorado?
Rita Cadillac: Sim, estou solteira e gostaria de ter um companheiro. Mas não fico caçando, laçando. Se aparecer na minha porta, ótimo.

iG: Quem é o modelo de homem bonito para você?
Rita Cadillac: Meu tipo é o Zé Wilker, Wanderley Luxemburgo.... Se o Zé Mayer passar perto de mim... ah, eu agarro ele!

Agradecimentos:
Locação: Hospital Matarazzo (São Paulo - SP)
Beleza: Naylor Fallararo
Estilo: Brechó Minha Avó Tinha

Arquivo pessoal
Rita Cadillac fantasiada (à esq.) e quando fazia a alegria dos presidiários


Leia tudo sobre: Rita CadillacChacrinhaEntrevista

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG