Mitch Winehouse deu entrevista exclusiva ao "Fantástico" e falou como a filha lutava para se livrar da dependência química

Mitch Winehouse em entrevista ao
Reprodução TV Globo
Mitch Winehouse em entrevista ao "Fantástico"

Em entrevista exclusiva ao “Fantástico” deste domingo (29), o pai de Amy Winehouse , Mitch Winehouse , falou da luta da filha contra a dependência química. No final de junho, ele lançou nos Estados Unidos e no Reino Unido a biografia “Amy, Minha Filha” – com previsão de lançamento no Brasil em 3 de agosto –, em que conta outro lado da cantora, inteligente e delicada, que tentava a todo custo se livrar da bebida e das drogas.

Siga o iG Gente no Twitter e receba notícias dos famosos em tempo real

Durante a conversa com o repórter Marcos Losekann , Mitch lembrou que em 2007 e 2008 Amy estava muito doente. "Se ela tivesse morrido naquela época, eu não ficaria surpreso, ela estava muito mal", disse. Ainda segundo ele, três anos antes de morrer, Amy tinha parado de se drogar, largou a maconha e a heroína, mas mergulhou na bebida. Em 2011, ela conseguiu ficar seis semanas sem álcool, mas voltou a beber dois dias antes de sua morte.

Mitch falou também da imprensa sensacionalista e que para ele era muito difícil ver as pessoas distorcendo a imagem da cantora, sem perceber que era “uma garota maravilhosa, amigável e adorável". "Os jornais eram apenas 1% do que Amy era. A música era 50%. O resto era a pessoa dela”, comentou ele, que disse como a filha era inteligente. “Amy adorava cálculo e equações de segundo grau quando ainda estava na escola primária. E gostava de palavras cruzadas muito difíceis. Quanto mais difícil, melhor. O cérebro dela era incrivelmente ágil", contou.

Procura-se Amy: que atriz seria perfeita para o papel da cantora?

Capa da biografia de Amy Winehouse, escrita por seu pai
Divulgação
Capa da biografia de Amy Winehouse, escrita por seu pai

Segundo o pai de Amy, a cantora se sentiu muito bem quando veio ao Brasil em 2011. "Ela me telefonou muito animada e disse: isso aqui é bonito, muito, muito bonito. Amy gostou das pessoas. Gostou de pegar sol. Ninguém chateou, e ela gostou mesmo dos shows", relatou.

O dinheiro ganho com a venda da biografia de Amy será usado para uma boa causa. “Onde o livro for vendido, no Brasil, na França, na Alemanha, na Grã-Bretanha, nos Estados Unidos, ganhamos dinheiro, mas eu não fico com ele. Vai para a fundação, e devolvemos ao país. No Brasil, ainda precisamos encontrar uma fundação para crianças, para os sem-teto, para dependentes de drogas, que possamos ajudar", explicou Mitch.

FOTOS: A vida de Amy Winehouse

Ao final da entrevista, ele fez um pedido aos fãs da cantora. “Amy era uma grande garota, com um coração imenso. Por favor, lembrem-se dela com carinho”, declarou.

Amy Winehouse foi encontrada morta aos 27 anos no dia 23 de julho de 2011 em sua casa em Londres. Segundo os laudos dos médicos legistas, a cantora morreu após consumir uma grande quantidade de álcool, cinco vezes a mais do que é permitido para dirigir na Inglaterra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.