Modelo ainda falou sobre as investigações, fé e a luta de Rafael Noronha contra a dependência química

Há um mês o ex-BBB, Jonas Sulzbach  perdeu o irmão, Rafel Noronha , de 20 anos,  assassinado na cidade de Lajeado, interior do Rio Grande do Sul . “Num período de poucos meses depois do BBB minha vida foi pro céu e nesses mesmos poucos meses aconteceu uma tragédia. Para mim e para minha família parece que nada significou o que aconteceu antes”, disse ele durante a inauguração da loja Femminista, na noite desta quinta-feira, (26), em São Paulo.

Siga o iG Gente no Twitter e receba as últimas notícias dos famosos

Conforto espiritual

Desde o ocorrido, Jonas e a mãe, Marlene Verruck , vêm se refazendo com a ajuda da espiritualidade. “Nós dois compreendemos o que aconteceu, sei que meu irmão está bem onde ele está”, disse. “Já tive alguns sinais, através de sonhos, passarinhos, sinto ele. Minha mãe só foi melhorar depois que conversou com um espiritualista que conversa com anjos e falou que está bem e que quer o nosso bem”, completou.

Católico, o ex-BBB acredita nas mensagens recebidas para superar a dor. “Isso conforta demais. A fé conforta muito e acreditar. Sempre acreditei muito em mim, na minha família, nas coisas. A fé me move e sempre foi muito presente na minha vida”, falou.

O caso que está sendo cuidado pela Polícia Civil da cidade natal de Jonas não se concluiu ainda. A hipótese da morte seria execução por conta de drogas, já que Rafael era dependente havia sete anos. “A polícia está trabalhando nisso e minha mãe correndo atrás na Justiça, inclusive sábado (28) vai ter uma passeata que ela está preparando na minha cidade”, contou Jonas. “Eu sinto que a polícia está com medo de ir a fundo no caso, até chegou a dizer que eu e minha mãe estamos atrapalhando com declarações que damos na mídia. Ouvi dizer que a polícia tem medo de se envolver com esse pessoal da pesada da minha cidade. É complicado”, desabafou.

Drogas e mulher

Para Jonas, a questão drogas não é o único motivo real da morte do irmão. “Eu creio que o que as pessoas estão pensando não seja bem o que aconteceu. Teve envolvimento com droga, só que tudo leva a crer que foi por causa de uma mulher que ele estava envolvido, que tinha um parceiro do mal. Ele já tinha sofrido ameaça dessa pessoa pra se afastar dela”, revelou.

Jonas, que diz nunca ter usado qualquer tipo de droga ilícita, lamenta a situação do dependente químico. “Eu bebo, mas nunca usei drogas. Isso deve ser muito poderoso, basta ver o jeito que a droga domina a pessoa. É uma doença”, disse. “Ninguém mais do que meu irmão queria sair dessa vida. Ele chegou a ser internado mais de 25 vezes. Eu sei quem ele era longe das drogas. E é essa imagem que eu tenho dele: uma pessoa amorosa, bondosa e generosa."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.