O cirurgião plástico Wagner de Moraes conversa com o iG sobre as estratégias para fazer sua mulher vencedora de “A Fazenda”, mesmo após a perda da irmã


O consultório médico do cirurgião plástico Wagner de Moraes é todo decorado com imagens de Angela Bismarchi , com quem está junto há oito anos. Angela está por todos os lados. Nos quadros. Em fotos de família. Porta-retratos. Capas de revistas emolduradas na parede. E nas páginas de notícias da internet sobre sua atuação no reality show " A Fazenda" . “Ela só não está dentro do aquário”, brinca ele.

Wagner recebeu a reportagem do iG em seu consultório, em um nobre bairro de Niterói, Rio. Na sala de espera, lotada, homens e mulheres à procura da fórmula da juventude que - ele garante – é bem simples. “Tem que viver com a verdade. Falar sempre a verdade é a melhor coisa. A vida flui melhor”, diz o médico. Já sobre a falta de sexo ( Angela sempre fez questão de divulgar que não passa um dia sem ), Wagner conta que ganhou dos amigos dez bonecas infláveis. Estão todas em casa. Ainda sem uso.

É tanta exposição no programa que Angela acaba de ter um de seus segredos mais bem guardados revelado em cadeia nacional. Sua idade. Para quem dizia ter entre 30 e 40 anos , a informação de que tem, sim, exatas 45 primaveras soa como elogio. Ao menos para seu marido e ‘personal cirurgião’. “Ela não aparenta ter isso tudo. Foi agraciada por Deus”, defende Wagner, este sim sem grilos com a idade. Tem 65. “Mas pinto o cabelo e já fiz umas puxadinhas na face”, revela ele, sem pudores.

Assista ao vídeo: Angela fala com exclusividade ao iG sobre seu livro de sexo

É papel dele também defendê-la das acusações de que foi fria ao não deixar o programa, sabendo do suicídio de sua irmã, a policial Angelina Filgueiras . “O grande tesouro Angela já perdeu, que foi a irmã. Não havia mais o que fazer aqui fora. Dinheiro é bom para todo mundo, mas ela não faz planos com isso. O melhor do programa é ela mostrar quem realmente é”, diz. E quem é, afinal, Angela Bismarchi? Seu cirurgião particular responde. “Ela já foi rotulada de fútil, de plastificada, de mulher de cirurgião. Mas é culta”.

A maioria das cirurgias que Wagner faz na sua clínica é de prótese de silicone
Valmir Moratelli
A maioria das cirurgias que Wagner faz na sua clínica é de prótese de silicone

iG: Como você analisa a participação da Angela até o momento em “A Fazenda”?

Wagner de Moraes: A Angela é a mais bonita, não é para puxar sardinha para o meu lado, não. Mas é a mais bonita. Ela não está num spa para emagrecer, está num jogo para ganhar dois milhões. Angela tem estratégia.

iG: Qual é a estratégia?

Wagner de Moraes: Ela foi a primeira a ser convidada. Por isso tivemos três meses para fazer uma estratégica. Nunca se envolver em barracos. Se tiver problema, fica na sua. Lemos vários livros de guerra.

iG: Quais livros?

Wagner de Moraes: Livros como “A Arte da Guerra”. Ela decorou todo este livro. Li três vezes o livro para ela. Como ataca, como recua, como absorve, como avança. Tem que estar preparado para o improviso constante.

iG: O que mais a motivou a participar do reality show: o prêmio de R$ 2 milhões ou a fama?

Wagner de Moraes: Ela foi acusada de um assassinato que não tinha nada a ver, com o ex dela, o Ox Bismarchi. A família ele é quem a acusou para tentar tirar dinheiro. Angela acabou ficando calejada com estas injustiças. Isso deu muita garra para ela vencer na vida. Agora é a chance dela mostrar o que ela é.

iG: Como assim?

Wagner de Moraes: Angela já foi muito rotulada. De fútil, de plastificada, de mulher de cirurgião. Mas ela é culta. Já fez duas faculdades. Ninguém sabia a idade dela, falavam que tinha 33 anos. Agora foi divulgado no programa, Angela tem 45 anos. É uma mulher madura, apesar de nenhuma marca de cirurgia.

Wagner de Moraes, rodeado pelos retratos seus quando mais jovem e de sua mulher.
Valmir Moratelli
Wagner de Moraes, rodeado pelos retratos seus quando mais jovem e de sua mulher. "Angela é guerreira", diz.

iG: Falando nisso, você fez alguma cirurgia nela como parte da estratégia de jogo?

Wagner de Moraes: Não fiz nada. Ela se cuida sempre. Está direto na academia. Não bebe, não fuma, só toma sucos. Refrigerante dá celulite. Ela só bebe água e suco. É o que a família brasileira quer ver. É uma grata surpresa para quebrar estereótipos.

iG: Estereótipos que ela parecia gostar de perpetuar, não?

Wagner de Moraes: Mas ela não tinha opção. Angela só tinha opção de fazer plásticas, coisa que o Ox inventou. Estou desmistificando isso aos poucos. Ela não procurou outro cirurgião para casar, foi coincidência. Nos conhecemos no carnaval. Só começamos a namorar três meses depois.

iG: Onde vocês se conheceram?

Wagner de Moraes: Foi em 2002, no baile do Copacabana Palace, tradicionalíssimo, só com a alta sociedade carioca. Trocamos cartões e depois nos falamos várias vezes. No primeiro encontro, ela levou o irmão. Imagina minha cara quando vi um mala do lado ( risos ).

iG: Não teme que ela se envolva com alguém do programa? Isso é normal em reality shows...

Wagner de Moraes : Olha, Angela é tão fiel que lanço um desafio no iG . Ofereço um carro 0km a qualquer internauta que perceba um olhar indiscreto da Angela para um homem de lá. Ela não olha. É uma mulher seríssima

iG: A permanência da Angela no programa após a morte da irmã não manchou sua imagem com o público?

Wagner de Moraes: Ela não ficou lá por causa do dinheiro, mas porque não tinha mais a irmã. Fui lá, não me deixaram falar com a Angela, mandei recado pelos psicólogos do reality. Angelita era o anjo da guarda da vida dela. Meu recado foi que a família toda a apoiava para ficar. Falei: não há mais o que fazer.

Wagner de Moraes
Valmir Moratelli
Wagner de Moraes

iG: Como foram os últimos momentos da vida da Angelita?

Wagner de Moraes: Estive dez minutos antes com ela. Foi suicídio, participei da necropsia. O casal já não andava bem. Já tinha feito ameaças de se suicidar outras vezes. O que a machucou muito foi o fato de ser escrivã da Polícia Federal. Não tinha estrutura psicológica e emocional para ser policial. A gente assistia ao reality todas as noites juntos, comentávamos a performance dela, preparamos a Angela para ganhar aquilo. Não era para ter acontecido esta fatalidade. Fiz a pálpebra da Angelina não tinha nem 15 dias, queria deixá-la mais jovem, mais para cima.

iG: Andaram dizendo que o espírito dela estaria com a Angela. Você crê nisso?

Wagner de Moraes : Um babalaô é quem veio falando que a irmã está ao lado da Angela lá na Fazenda. Sou católico espiritualizado, tenho mais de 500 livros de religião. Sei do que estou falando. Ele é um mentiroso, discuti com ele. Com a fatalidade, a energia da Angela se expandiu como uma bomba atômica, num cogumelo gigante. Não foi o espírito da irmã que foi para lá. Foi esse cogumelo de energia.

iG: Pode explicar melhor?

Wagner de Moraes: Quem viu ( o filme ) “Nosso Lar” sabe que uma pessoa, ao cometer suicídio, não tem condição de, no outro dia, ir para a Fazenda. Vamos supor que agora fosse carnaval. Você acha que o espírito da Angelina ia aparecer pelado na Avenida ao lado da Angela para dar força no desfile? Quem está lá é a Angela com a força energética expandida, para suportar a dor.

iG: E como está sendo se manter longe da sua mulher por tanto tempo?

Wagner de Moraes : Vejo ela 24h por dia. Meu computador fica ligado aqui e em casa. Quando ela vai dormir e quando acorda. Acompanho a Angela no café, no banho... Seu grande rival é o Felipe Folgosi, eles dois se equilibram em termos de postura. Seria um grande final. Mas a Viviane Araujo também é forte, tem uma boa torcida. Se o telespectador for ver pelo lado da família, pelos valores, Angela ganha.

iG: Angela sempre disse que faz sexo todo dia. Acha que ela vai aguentar o confinamento?

Wagner de Moraes: Pelo fato dela ser madura, sabe o que quer, está tirando de letra. Como eu também. Angela, muito eroticamente, mantem um casamento muito legal. Não é brincadeira, não. A gente faz sexo todo dia mesmo. Isso é verdade. Meu Viagra é ela. Ainda não precisei ( risos ).

No retrato, Angela durante o carnaval carioca
Valmir Moratelli
No retrato, Angela durante o carnaval carioca

iG: E para você? Está sendo fácil?

Wagner de Moraes: Ela ficou na dúvida por saber que não ia poder me ver daqui de fora. Daí Angela teve a ideia de comprar uma xerec* de plástico, numa dessas lojas de produtos eróticos. Falei isso para os amigos. Rapaz... Pra quê! Já ganhei umas dez bonecas infláveis, dos mais diferentes tipos e formas.

iG: Que formas?

Wagner de Moraes: Tem até aqueles modelos com pelos pubianos lourinhos, como os dela. É quase de verdade. Nunca tinha visto isso.

iG: Já usou alguma?

Wagner de Moraes : Não usei ainda, não. É frio demais, não dá. Angela, toda imensa, não ia dar certo.

iG: Não há ciúme entre vocês?

Wagner de Moraes: Temos duas profissões diferentes e cobiçadíssimas. Os homens cobiçam a artista que é a Angela, as mulheres cobiçam o cirurgião plástico, como eu. Já teve paciente aqui querendo facilitar as coisas... As mulheres têm devaneios em consultórios. É que nem com a Angela. Preciso ser profissional. Tenho 40 anos de mercado não é à toa.

iG: Você, como empresário da sua mulher, o que pretende para ela quando o programa acabar?

Wagner de Moraes: Acho que ela caberia muito bem num programa sobre sexo. Angela fala de sexo de forma engraçada, para unir casais, dar chama no relacionamento. Ela é, há dois meses, embaixatriz da Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual. Vai passar a representar o Brasil nas feiras eróticas do mundo todo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.