Cantor participou do “Programa do Jô” e falou sobre os meses de recuperação do filho, que sofreu acidente gravíssimo de carro e teve alta depois de 81 dias internado

Leonardo foi um dos convidados de Jô Soares durante a gravação de seu programa na tarde desta terça-feira (10), na Rede Globo, em São Paulo. O iG acompanhou a entrevista do sertanejo, que falou sobre o acidente, a recuperação e a chegada do filho Pedro Leonardo em casa, nessa segunda-feira (9), depois de 81 dias no hospital.


VÍDEO:  Pedro Leonardo deixa hospital: "Estamos juntos e misturados"

O acidente:

"Minha mulher me avisou, mas não tínhamos informações. Ela só disse: 'Acho que não foi bonito'. Fiquei com aquilo na cabeça, meio transtornado, fui correr na esteira e liguei a TV. Quando vi no noticiário, quase caí. Liguei no hospital e o médico confirmou que era grave. Tiveram que sugar o pulmão para tirar sangue e terra. Depois minha irmã ficou com ele e cuidou do transporte para Goiânia. O povo começou a me cobrar porque não levei ele direto para São Paulo, mas eu não sabia se ele ia aguentar. Ele chegou quase morto em Goiânia.”

A primeira visita:

“Nenhum pai nesse mundo merece ver o filho como eu vi Pedro, ele estava muito mal. Ele inchou muito, uns 20, 30 quilos. O Pedro que vi no dia do acidente não era o mesmo que vi 24 horas depois. Fiquei muito mal. Cheguei a pensar que dessa vez não ia ter jeito. Meus amigos me deram esperanças, mas os médicos nem tanto.”

O quase óbito:

"Não conseguia dormir, qualquer mensagem já pensava no pior. Ele teve uma parada cardíaca de 7 minutos. Quando tava no quinto minuto, a médica já pediu para a família me avisar que ela ia dar óbito. Mas aí no sexto minuto ele voltou"

VÍDEO: Emocionado, Leonardo lembra todos que ajudaram Pedro

O período em coma:

“O Pedro dormiu 40 dias e eu fiquei 40 dias acordado. Os médicos diziam que ele poderia acordar hoje ou demorar dez anos. Ou acordar hoje e não conseguir se movimentar.”

A transferência para São Paulo:

"Quando ele foi transferido para São Paulo foi um Deus nos acuda. A maca não passava pela porta do avião, dai tivemos que desmontar tudo. Para descer foi outro Deus nos acuda. Demorou 40 minutos. Ele chegou no Sírio com zero de pressão."

O despertar:

“Quando avisaram que ele acordou, foi uma alegria muito grande, uma farra. Foi a melhor notícia que tive na minha vida, melhor até que o dia em que ele nasceu. Cheguei ao hospital e perguntei: 'Quem sou eu?' Ele disse: 'Meu pai'. Eu brinquei: 'Tem certeza?' E ele completou: 'Tenho'. Daí continuei: 'Não é o Sérgio Reis com esse tamanhão?' E ele riu.”

Em casa:

“Estou tão feliz de estar aqui no programa, só tenho a agradecer ao povo que rezou. Hoje eu até falei: ‘Esse ano eu não sofri, só tive vitórias’. Ontem fui buscá-lo, e ele já fica em pé e dá os primeiros passos sozinhos. Para quem o viu, nos mandaram até preparar o velório, e hoje ele está ai com a cara de sem vergonha que ele tem (risos).”

A íntegra da entrevista vai ar ar na noite desta terça-feira (10), no "Programa do Jô".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.