Humorista fala das polêmicas e do sucesso do late night da Band, que completou um ano nessa semana, e comenta o programa do sócio Rafinha Bastos

Desde que saiu do “Custe O Que Custar”, em dezembro de 2011, para se dedicar totalmente ao seu programa “Agora É Tarde”, Danilo Gentili não tem do que reclamar.

A atração, que inicialmente era exibida duas vezes na semana, ganhou mais dois dias na grade da Band e vem conseguindo bons pontos na audiência – ficando diversas vezes em terceiro lugar.

VEJA:  Danilo Gentili entrevista Rodrigo Farah, conselheiro amoroso do iG

Gentili também foi o primeiro CQC a dar certo com seu próprio programa, diferentemente do que aconteceu com Marco Luque e o extinto “Formigueiro” e com Rafinha Bastos , que vem amargando péssimo Ibope com seu “Saturday Night Live”. “Assim como não sei porque meu programa deu certo, não sei o que está errado no dele”, opina Gentili.

Danilo Gentili lança o livro
Claudio Augusto
Danilo Gentili lança o livro "A Vida e Outros Detalhes Insignificantes"

Nesta sexta-feira (29), o humorista comemorou mais um feito. O lançamento de seu livro “A Vida e Outros Detalhes Insignificantes” na Livraria Cultura, em São Paulo, atraiu uma fila interminável de fãs. Foi lá que Gentili conversou com o iG Gente , onde falou – com muito bom humor – de sucesso, assédio das mulheres, do ex-presidente  Lula , Jô Soares e planos para o futuro de seu programa. Leia abaixo a entrevista:

iG: Como surgiu a ideia deste livro? Do que ele fala?
Danilo Gentili: O livro? Não sei, não li ainda! Deixa eu ver o que escreveram aqui (risos). O livro, mais uma vez, gira em torno do meu trabalho na comédia stand up. Peguei textos e piadas que, desde 2008, escrevo para testar no palco. E juntei tudo e formei um livro, que, na verdade, é uma grande crônica do cotidiano na vida comum; peguei situações da minha vida que eu sei que todo mundo passa por isso, que é para as pessoas se identificarem.

"Ela está put* da vida com isso. Ela diz que vai me processar", sobre citar nome da ex-namorada no novo livro

iG: Em um dos trechos do livro, você cita o nome completo de uma ex-namorada. Como ela reagiu?
Danilo Gentili: Ela está put* da vida com isso. Ela diz que vai me processar. Ainda bem que veio bastante gente aí pra comprar o livro e pagar o processo. (risos)

iG: O “Agora É Tarde completa um ano hoje. Você esperava chegar tão longe com o programa?
Danilo Gentili: Não esperava chegar nem a dois meses!

iG: Sério? Por quê?
Danilo Gentili: Sério! Em 2009 convenci a Band a exibir seis programas, era o acordo, que seria uma vez por semana e ia ficar no ar dois meses. Não achava que ia longe, nem a Band. No entanto que eles me enrolaram até 2011. Vi muito projeto ser passado na frente do meu.

iG: O que você acha que foi o diferencial do “Agora É Tarde” para ele dar certo?
Danilo Gentili: Não sei! (risos) Esse livro fala muito de piadas que escrevo que nunca sei se as pessoas vão rir ou não. O humor é muito subjetivo, só fazendo que eu vou saber o resultado. O programa é assim, todo pontuado como o stand up, com piadas, situações, vídeos. Eu não sei te falar porque deu certo. Não sei mesmo. O que eu sei é que me esforço todo dia para fazer um programa que eu gostaria de assistir.

Danilo Gentili sobre o
Claudio Augusto
Danilo Gentili sobre o "Agora é Tarde": "Vi muito projeto ser passado na frente do meu"

“Agora é Tarde": "Não achava que ia longe, nem a Band. Vi muito projeto ser passado na frente do meu..."

iG. E quando você viu que deu certo? Quando foi o estalo de que “estou fazendo sucesso”?
Danilo Gentili: Com duas semanas de programa fui jantar com uma amiga e naquele dia o garçom não me chamou de “CQC”, me chamou de “Agora É Tarde”. Aí eu falei “acho que deu certo”. Porque era muito forte minha imagem com o “CQC”. Mas eu sempre ouvi isso, fui contratado para fazer dois meses de “CQC” e falaram que eu não ia dar certo. Aí, me chamaram para se repórter e também falaram que não ia dar certo. Agora com esse programa também falaram isso. Mas ainda bem que deu certo. Me surpreendeu.

iG: Seu programa está sendo muito comparado com o do Jô Soares em termos de audiência e até mesmo de qualidade. O que você acha disso?
Danilo Gentili: Em primeiro lugar, eu sou fã do gênero ‘talk show’, ‘late night’, e o Jô foi o primeiro cara que executou o gênero no Brasil. Eu cresci vendo o Jô. Preciso confessar que sou muito mais fã do Jô na fase dele no SBT do que na Globo. Era muito mais anárquico. Ele entrevistava muita gente maluca, levava muito menos a sério do que ele faz hoje. Sou fã do Jô, mas a melhor fase dele foi no SBT.

iG: Você disse em uma entrevista ao iG que achava que o Jô Soares estava imitando você . Ainda pensa isso?
Danilo Gentili : Foi sacanagem, óbvio, mas ele faz coisas no programa que não fazia antes. No meu programa eu abro fazendo um stand up com notícias do dia e já vi o Jô tentando fazer igual.

Claudio Augusto
"Sou fã do Jô, mas a melhor fase dele foi no SBT"

iG: E você acha que ele já sabe da sua existência (em uma entrevista ao “Roda Viva”, Jô Soares disse que não conhecia Danilo Gentili e que nunca tinha visto seu programa)? Você acha que o incomoda?
Danilo Gentili: Até parece. Acho que ele não sabe. Mas preciso dizer que óbvio que ele não está incomodado comigo, ele está na Globo, tem 60 anos de carreira, mais de 100 toneladas... (risos) Ele não está incomodado comigo. Jamais.

iG: Você disse uma vez que seu sonho era entrevistar o Lula. Você chegou a chamá-lo para o programa?
Danilo Gentili: Tentei pedir, não faz muito tempo, falaram que iam ver. Mas agora é época de eleição, eles ficam guardando (entrevistas) para usar na hora certa. Certo eles. A natureza do ‘late show’ é isso, as pessoas sentam no lugar para se divulgar, lançar filme, CD. Políticos têm que pensar assim também, ver quando é interessante para eles. Espero que ele vá, as portas estão abertas.

“Preciso dizer que óbvio que ele não está incomodado comigo, ele está na Globo, tem 60 anos de carreira, mais de 100 toneladas....", sobre o concorrente direto Jô Soares

iG: Recentemente, você ironizou a audiência do programa “Saturday Night Live”, de Rafinha Bastos no Twitter. Vocês são muito amigos?
Danilo Gentili: Não, parece? Somos só sócios de um bar (o “Comedians”, na Augusta, em São Paulo).

iG: Ele te pediu dicas para o programa dele?
Danilo Gentili: Não, jamais!

iG: Por que você acha que ele não consegue mais audiência?
Danilo Gentili: Não sei, do mesmo jeito que não sei por que o meu (programa) deu certo, imagina que eu vou saber o que está dando errado no dele.

iG: Mudando de assunto um pouco, como está o assédio das mulheres com a fama? Aumentou muito com o programa?
Danilo Gentili: Nada! Vocês viram aqui, estava tudo gente de família pedindo autógrafo. (risos) Eu ‘pego’ mais hoje em dia, né? Um pouco mais. Mas é porque sou solteiro, acho. Não pretendo casar muito cedo. Porque quando eu for casar, vou fazer tudo direito e, por enquanto, não quero fazer tudo direito. (risos)

iG: Para finalizar, quais os planos para o futuro do “Agora É Tarde”?
Danilo Gentili: O cenário do ‘late night’ é muito peculiar, tem vinte programas na televisão americana e todos têm uma sala, uma janela de fundo e tal. Pretendo me aproximar mais disso. Não fiz isso esse ano para as pessoas não acharem que estou copiando o Jô Soares, que era o único que tinha esse tipo de programa, mas estou copiando o formato. Todos os programas são assim. É a coisa que mais estou preocupado. Porque elenco, conteúdo e a forma que estou conduzindo não quero mudar. Só queremos evoluir.

Claudio Augusto
"Elenco, conteúdo e a forma que estou conduzindo não quero mudar. Só queremos evoluir", diz sobre o "Agora é Tarde"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.