Apresentadora do “Pânico na Band” falou da polêmica do enterro do personagem Silvio Santos, exibido neste domingo, 24, na TV Bandeirantes

Sabrina Sato não acredita que o SBT deva processar o “Pânico na Band” por brincadeira com “morte” de Silvio Santos . “O Silvio sempre tratou a gente muito bem, ele gosta do Ceará e acho que ele não vai processar a gente", disse ela na tarde desta quarta-feira, (27), no estande da Lilly’s Closet, na Francal - Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo.

Siga o iG Gente no Twitter e receba notícias dos famosos em tempo real

Sabrina Sato se diverte com os elogios que recebe dos fãs no estande da Lilly’s Closet, na Francal, em São Paulo
Amauri Nehn/AgNews
Sabrina Sato se diverte com os elogios que recebe dos fãs no estande da Lilly’s Closet, na Francal, em São Paulo

O episódio do enterro do personagem de Silvio Santos, protagonizado por Wellington Muniz , o Ceará, se deu após o dono do SBT vetar a sua imitação na atração de humor. “Era um ciclo do Ceará se fechando e não a intensão de matar o Silvio”, disse ela que ainda jurou que a turma do Pânico apenas deu um fim ao personagem.

O programa foi exibido no último domingo, (24), e causou a maior repercussão nas redes sociais. “Eu não acompanhei a repercussão. Agora qualquer programa de humor fica sob os olhos das pessoas que estão muito preocupadas em censurar, enquanto deveriam se preocupar com outras coisas. A intenção é fazer piada, é rir, se divertir. Assim fica difícil fazer humor no Brasil. Lá fora você vê coisas deste tipo o tempo todo, existe a liberdade. Aqui implicam com o que não deveriam. O humor só quer mostrar a realidade de um jeito divertido”, disse a namorada do deputado Fábio Faria . "É humor gente e humor precisa dessa liberdade. Já não podemos mexer com política, não podemos falar disso, daquilo... Se a gente não puder brincar com nossos ídolos, daí fica difícil trabalhar”, completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.