Atriz de "Carrossel" fala de sua primeira vilã, criada especialmente por Íris Abravanel, e da relação com o dono do SBT

Lívia Andrade comemorou seu aniversário de 29 anos em clima de festa junina. Ela apareceu vestida de caipirinha e brincou com as crianças que contracenam com ela em "Carrossel". “Trabalhar com criança faz o espírito permanecer jovem. Tenho um lado criança e às vezes eu acabo sendo mais infantil do que elas”, falou a professora Suzana da novelinha infantil no SBT, que armou uma celebração na noite desta segunda-feira (25), no Buffet Planeta Kids, em São Paulo.

Siga o iG Gente no Twitter e receba notícias dos famosos em tempo real

Lívia, que também é jurada de Silvio Santos, festejou sua oportunidade como atriz no papel da antagonista  Suzana. “A Íris ( Abravanel ) criou esse papel especialmente pra mim. É uma honra, mas eu sofro porque sou boazinha”, disse ela sobre sua vilã.  

Rival da professora Helena, personagem de Rosanne Mulholland , Lívia garante que não há rivalidade com a atriz, com quem disputou o papel principal da trama. “Nos damos muito bem, tanto é que ela veio no meu aniversário e aqui só tem gente que eu adoro”, disse.

LEIA AQUI TUDO SOBRE "CARROSSEL"

Queridinha do dono do SBT, Lívia contou que acredita que a intimidade entre ela e Silvio Santos só se deu por conta das brincadeiras, muitas vezes picantes, que acontecem no quadro “Jogo dos Pontinhos“, do “Programa Silvio Santos”. “Isso acontece espontaneamente. Existe uma química entre nós”, explicou. Destes momentos, também surgiu o apelido carinhoso que a funcionária criou para o patrão. “Hoje, todo mundo chama ele de Sissi. Ele adora”, contou.

Leia o bate-papo com Lívia Andrade... 

iG: Você diminuiu os seios especificamente para disputar o papel de Professora Helena? ?
Lívia Andrade: Eu diminuí para a minha vida, porque estava me incomodando para meu trabalho. Tinha uma prótese de 355 ml e troquei por uma de 280 ml. Acabava engordando no vídeo no programa do Silvio porque o plano é americano. Pesava também. Quem deu esse toque foi o Silvio. Ele achava que se eu diminuísse um pouquinho ficaria melhor. O lance da novela vinha depois. Nunca imaginei que fosse fazer.

iG: Como surgiu o convite?
Lívia Andrade: Fiquei sabendo que meu nome estava sendo cotado através da imprensa. O Silvio pediu que eu fizesse o teste com a roupa da Helena. Mas sim, eu queria participar dessa novela que marcou a minha infância.

iG: Existiu alguma rivalidade entre você e a Rosanne Mulholland, que ficou com o papel principal da professora Helena? 
Lívia Andrade: Nunca existiu, a mídia criou (isso). O Silvio fez umas brincadas até pra criar (rivalidade), foi proposital. Eu levava na brincadeira o que ele falava, só que na verdade era o que estava rolando. Ele talvez queria que eu fosse a professora Helena e o diretor achava que não, que tinha que ser a Rosanne e acabou sendo assim. Caiu como uma luva pra ela. Não acho que tem que ter o perfil, atriz tem que se transformar. Eu sou super grande, ela é mais delicada e isso pra professora Helena é mais bacana. Agora, a vilã combina mais comigo, sou grandona. Eles fizeram a melhor escolha.

iG: Gostou de sua personagem?
Lívia Andrade : A Íris (Abravanel) criou a Suzana pra mim, achei fantástico. Isso pra mim foi demais. Fiquei sabendo agora há pouco e não no começo da novela. Para mim é superespecial.

iG: Como está sendo fazer sua primeira vilã?
Lívia Andrade : É uma delícia fazer vilã. É o tempo inteiro causando, criando caras, bocas, caretas. A Suzana é toda cheia de movimentos. Sofro às vezes. Leio a cena e eu não tenho vontade de fazer porque acho que a Suzana não falaria isso. Porque sou eu, não queria que ela fosse daquele jeito. É bem complicado.

iG: Por enquanto você está gravando as cenas que irão entrar somente em julho. Como está a expectativa?
Lívia Andrade: Estou tranquila porque gravo todo dia, então eu não tenho essa expectativa porque eu vivo 24 horas 'Carrossel'. Não tenho essa ansiedade de ver.

iG: Como foi virar a jurada favorita do Silvio Santos? E essa intimidade entre vocês?
Lívia Andrade: Isso aí só Deus sabe. É a imprensa que fala. Sinto que ele tem um carinho especial por mim, apesar de a gente brincar, ele tem um respeito muito grande. Ele cuida mesmo, como se eu fosse uma filha dele. Ele olha o sapato, a roupa, reclama, dá opinião no cabelo. Cem por cento das vezes ele tá certo. Eu acho que as brincadeiras que fazemos no palco acabou trazendo essa intimidade.

iG: Tem brincadeiras, palavreados que você não gosta que ele fale com você e vice-versa?
Lívia Andrade: Não porque isso é espontâneo. Rolou uma química mesmo. Eu tenho muito respeito, muito carinho e agradeço a oportunidade de estar ao lado dele e ouvindo todas essas dicas que ele dá.

iG: E com a Patrícia Abravanel, que entrou no programa? Tem um vínculo de amizade?
Lívia Andrade: Tem, claro. Nos vemos todas as semanas, acaba virando uma grande família. Claro que tem o lance profissional, mas não tem jeito, acaba falando de problema, damos dicas e opiniões uma pra outra e isso é muito legal. ela tem uma visão muito boa também. É bem bacana.

iG: Como surgiu o apelido Sissi? Ele gosta? Ele te chama de alguma coisa?
Lívia Andrade: Não lembro quando foi e como foi. Acabou pegando, na rua as pessoas perguntam do Sissi. Ele gosta, a Patrícia chama ele de Sissi, Todo mundo chama ele de Sissi agora. 

iG: É a segunda vez que você volta para o SBT. Acha que pode chegar até onde na emissora?
Lívia Andrade: Nunca fiz planos pro futuro. Eu deixo a vida me levar e procuro fazer bem o meu trabalho. Aí, vou aproveitando as oportunidades. Lá, já pude representar, apresentar o programa da Eliana por duas vezes. Isso foi muito especial, foi um presente porque é uma responsabilidade estar num horário nobre.

iG: Tem vocação pra ser apresentadora?
Lívia Andrade: Amei e acho que é gostoso. Gosto de diversificar as coisas e não fazer sempre a mesma coisa. Estou lá para o que der e vier. Gosto de trabalhar e evoluir com o meu trabalho.

iG: Já recebeu propostas de outras emissoras? 
Lívia Andrade: Já chegou, mas nunca tive vontade de sair porque eu via essa expectativa de um dia pintar uma coisa legal. Isso vai da intuição e, se eu tivesse ido, teria perdido muita coisa aqui.

iG: O seu público mudou. Antes eram homens, agora crianças. Como ficou a abordagem masculina com você?
Lívia Andrade: Mesmo trabalhando com a sensualidade, como Mallandrinha, eu tinha muito fã criança que me acompanha até hoje. As crianças não enxergam maldade. Maldade é só na cabeça do adulto. Lógico que hoje o público infantil é maior, e é um público fiel. Trabalhando com o Silvio, conquistei um público que é muito difícil e que eu respeito muito: as mulheres. Isso eu devo ao Silvio Santos, poder mostrar o meu outro lado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.