Em entrevista ao iG, mineira fala sobre polêmicas a respeito de sua participação no reality e o que mudou em sua vida

Renata Dávila:
André Giorgi
Renata Dávila: "Nunca tive problema em falar sobre sexo e falar que eu gosto muito de sexo, não tenho tabu nenhum, mas ninfomaníaca eu não sou"
Aos 22 anos, a ex-BBB Renata Dávila  está começando uma nova vida. A mineira, que nunca havia trabalhado, atualmente se desdobra em meio a um turbilhão de compromissos como modelo. “A ficha está caindo aos poucos”, comenta sobre sua nova realidade.

Siga o iG Gente no Twitter e receba as últimas notícias dos famosos

Após 12 edições do reality e mais de 150 ex-participantes da atração, ela já sabe que é preciso algo a mais para não cair no esquecimento da mídia, como aconteceu com a maioria. “Quero fazer o que eu gosto, como campanhas e fotos em geral”, disse ela, capa de maio da revista “Playboy”. Parece que ostracismo não faz parte de seu vocabulário.

VEJA TAMBÉM: Confira como foi a participação de Renata no reality

Renata Dávila
André Giorgi
Renata Dávila

Em primeira mão, Renata contou ao iG que o tema de seu ensaio para a revista são os 7 pecados capitais e ainda descreveu como lida com cada um desses princípios . A luxúria é a sua maior transgressão: “Sou louca por sexo”, dispara ela. Para quem não se lembra, “Renatinha safadinha”, como era chamada por Pedro Bial no confinamento, ficou com três brothers na casa, um recorde na história do reality. O último, o carioca Rafa , com quem parecia viver um romance que ultrapassaria os muros do confinamento, foi, para ela, seu único equívoco durante todo o programa.

André Giorgi
"Sempre quando a pessoa está exposta, ela é julgada. Mas graças a Deus, só recebi críticas positivas", diz a ex-BBB

Confira a seguir alguns dos melhores trechos da entrevista:

iG: Recebeu muitas críticas por seu comportamento dentro da casa?
Renata Dávila:
As pessoas que vieram conversar comigo foram muito receptivas. É engraçado, muitas crianças e idosas falam comigo na rua. Velhinhas sempre vêm falar comigo! Do tipo: “Nossa, Renatinha, se eu fosse você eu teria beijado muito mais”. Elas brincam assim comigo. Mas a maioria dos meus fãs fala que se espelha em mim, então fiquei feliz como contato das pessoas. Quem não gosta, nem vem falar comigo. Sempre quando a pessoa está exposta, ela é julgada. Mas graças a Deus, só recebi críticas positivas e muito carinho das pessoas.

Sou louca por sexo"

iG: O que se arrepende de ter feito no programa?
Renata Dávila:
Tem muita coisa que eu não gostei e eu não faria novamente. O confinamento é muito difícil, tive muita dificuldade justamente no final. Fiquei muito confusa e acabei fazendo coisas que hoje eu não faria. Não vou falar que me arrependo porque não me arrependo de nada do que eu fiz. E nem posso me arrepender, já está feito. Ter ficado com o Rafael, por exemplo, foi um erro. Não quero que pareça que estou “cuspindo no prato que comi”, mas foi um erro.

Renata quer comprar um apartamento com o cachê da
André Giorgi
Renata quer comprar um apartamento com o cachê da "Playboy"

iG: Mas vocês pareciam em sintonia dentro da casa. Aqui fora não deu certo?
Renata Dávila:
Já no primeiro encontro não rolou. Não falei pra ele: ‘tchau, nunca mais’. Mas expliquei que estava cheia de compromissos, não queria relacionamento sério agora e dei um ponto final. Também não tenho tempo de fazer nada, estou viajando o tempo todo. A única vez que eu fiquei com ele fora da casa foi na final do programa, durante o chat com os internautas. Foi só naquele momento, que a gente deu um beijo e só, depois nunca mais.

iG: Você fez “Hilda Furacão” quando tinha oito anos. Você quer dar continuidade a sua carreira de atriz?
Renata Dávila:
Eu não me lembro de “Hilda”, era muito pequena. Estudei teatro e quero voltar assim que eu tiver mais tempo, assim que passar esse turbilhão de coisas que estão acontecendo. Por enquanto, não tenho projetos voltados à atuação e sim à carreira como modelo. Há muitas coisas que ainda não posso fazer por causa de contrato, mas as propostas que me interessam agora são fechar campanhas publicitárias, fazer revistas e fotos em geral. Estou focada nisso. Para ser atriz, preciso voltar estudar, é um caminho longo pela frente e quando eu tiver tempo para isso, com certeza vou me empenhar. Até me comentaram sobre um longa, mas ainda não é nada certo.

Renata Dávila:
André Giorgi
Renata Dávila: "Como eu nunca trabalhei, meu irmão me ajuda a administrar minha vida financeira, é mais pé no chão, é meu controle"

iG: O Pedro Bial disse que você seria ninfomaníaca. Como reage a isso?
Renata Dávila:
Quem é ninfomaníaco é quem não tem controle, que faz sexo com quem quer que seja. Eu não. Nunca tive problema em falar sobre sexo e falar que eu gosto muito de sexo, não tenho tabu nenhum, mas ninfomaníaca eu não sou. O ideal é ter um relacionamento e aproveitar com a pessoa. A partir de do momento que estou numa relação séria, é a pessoa e pronto. No BBB que foi uma confusão!

Estudei teatro e quero voltar assim que eu tiver mais tempo"

iG: Normalmente as sisters loiras decolam. Você acha que terá mais facilidade para se destacar?
Renata Dávila:
Sempre há mulheres bonitas na casa e todas tem potencial para alguma coisa. O foco mesmo é se descobrir. Igual a mim, neste período, estou voltada para o que é certo para a minha vida e trilhar meu caminho. Todo mundo que sai da casa, segue um rumo, seja como ator, modelo, etc... Eu quero me descobrir e de repente nem que seja como atriz. Enquanto isso, estou fazendo o que eu gosto, que é fotografia, campanha. A exposição do BBB ajuda, mas o que conta mesmo é a força de vontade de cada um, de querer ir para frente e focar. Também é importante não deixar as oportunidades passarem.

iG: Há mais de 150 ex-BBBs e poucos são lembrados. Como fazer para não cair no esquecimento?
Renata Dávila:
Vários que saíram não quiseram ficar no meio artístico e voltaram a fazer o que faziam antes. Todos que eu vejo que ficaram no meio artístico são mais falados. Eu vou tentar dar certo. Quando você faz uma coisa que gosta e se diverte, a coisa tende a fluir. Se eu estou me sentindo bem, não tem como dar errado. Também não tenho essa preocupação de cair no esquecimento.

Tomei champanhe nos dois dias para me soltar
André Giorgi
Tomei champanhe nos dois dias para me soltar", diz sobre o ensaio nu para a "Playboy

iG: Como foi fazer um ensaio nu pela primeira vez para a revista "Playboy"?
Renata Dávila:
Foi diferente, mas muito legal. Tomei champanhe nos dois dias para me soltar. Tirei o roupão e já comecei a fazer as fotos. No início estava morrendo de vergonha, mas no fim já estava brincando com todo mundo, bem desinibida. Foi bom que o (Edson) Aran – diretor da “Playboy” - me acompanhou o tempo todo, então fiquei bem feliz e à vontade.

iG: O que pretende fazer com o dinheiro que você ganhou da “Playboy”?
Renata Dávila:
Ainda não sei. Quero comprar um apartamento para mim. Quero trabalhar mais e esperar para fazer um investimento bem legal. Talvez eu troque de carro. Como eu nunca trabalhei, meu irmão me ajuda a administrar minha vida financeira, é mais pé no chão, é meu controle.

Agradecimento: Ten Model Mgt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.